MP encaminha caso da espuma gordurosa no Rio Taquari para Fepam e Patram

Um resultado preliminar sobre as causas da camada de espuma gordurosa na água deve ser apontado ainda hoje.

ROCA SALES | O calor que fazia na segunda-feira fez com que o auxiliar de produção Sinei Ponizzio (40) fosse banhar-se no Rio Taquari, em Roca Sales. Para aproveitar a ocasião, levou um caniço de pesca em busca de um lambari. Porém, ao chegar no rio deparou-se com uma espuma de gordurosa que lhe fez perder o desejo de refrescar-se no Taquari e tão pouco de alimentar-se de seus peixes. “Tive que mudar a opção no cardápio. O rio está sem condições de banho ou pesca”, conta.

Desde o início dessa semana, uma espuma gordurosa junto à mata ciliar do Rio Taquari foi detectada por moradores de Roca Sales e Santa Tereza. O biólogo da prefeitura e fiscal do Departamento de Fiscalização Ambiental de Roca Sales, Cristian Prade, encaminhou o caso para o Ministério Público de Estrela – já que o órgão é responsável por assuntos referentes ao Programa de Recuperação Sustentável da Mata Ciliar do Rio Taquari. “Ainda desconhecemos a natureza desta gordura no rio. A informação que temos é de que está vindo da parte alta do Vale do Taquari. Estamos buscando apoio dos órgãos estaduais para que dê subsídios aos municípios da região para podermos punir os responsáveis e propor estratégias de recuperação ao Rio Taquari”, explica Prade.

O promotor de Estrela, Daniel Cozza Bruno, encaminhou a apuração do caso para a Patrulha Ambiental da Brigada Militar (Patram) e Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam). Um resultado preliminar sobre as causas da camada de espuma gordurosa na água deve ser apontado ainda hoje.

Vistoria

Desde a madrugada de ontem, a Patram fez diversas rondas pelo Rio Taquari em busca da origem da espuma que está invadindo o rio e já chega ao Porto de Estrela.
“Como é uma camada esbranquiçada, fica difícil de apontarmos do que se trata. Se fosse verde, seriam algas. A água do Rio Taquari está quente, isso indica que há materiais orgânicos nela. Somado a isso, a falta de chuva propicia para que se crie esta espuma com o baixo nível do rio”, explica o sargento Darli Scherer, da Patram.

Retrato do Vale

O Rio Taquari que nomeia a região do Vale tem uma importância não só para as comunidades ribeirinhas, mas para toda a região. Para o biólogo Cristian Prade, o responsável por despejar a gordura no rio, se fosse pego em flagrante, poderia ser preso e responder em reclusão. “Por ser um curso de água regional, não cabe a um município apenas averiguar isso. Precisamos das autoridades estaduais para apurar o caso. É um crime muito grave”, diz.

Boa parte da camada de gordura ficou acumulada no Complexo Parque Náutico de Lazer, em Roca Sales – local pertencente ao Programa de Recuperação Sustentável da Mata Ciliar do Rio Taquari. “Nosso programa tem o objetivo de promover a melhoria na interação ecológica entre os seres vivos. Moradores ribeirinhos afirmam que o produto vem de alguma localidade acima de Muçum. Queremos descobrir quem está fazendo esta barbaridade com o Rio Taquari.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *